Transcrição de áudio

Conheça os 3 principais tipos de transcrições de áudio

conheca-os-3-principais-tipos-de-transcricoes-de-audio.jpeg
Escrito por

A transcrição é uma atividade bastante comum do mundo acadêmico e é definida como o ato de transmitir aquilo que se vê ou se ouve de forma escrita para o papel. Para aquele que transcreve, é importante se manter fiel ao que o orador diz e, em muitos casos, não é permitido omitir nenhum trejeito da fala.

Existem 3 tipos de transcrições de áudio. Neste post, falaremos um pouco mais sobre cada uma delas. Confira:

Os tipos de transcrições de áudio

1. Transcrição literal

Neste caso, a palavra literal não é empregada à toa. Aqui, é necessário que tudo o que foi dito seja transcrito. Todos os aspectos da fala devem ser reproduzidos com fidelidade, incluindo as peculiaridades como murmúrios e vícios de fala, como “né” e “uhum”.

Essa transcrição é um pouco mais trabalhosa, principalmente para quem precisa interpretá-la, já que não é feito nenhum tipo de correção. Entretanto, todo o trabalho compensa pelo grau de honestidade do material final.

A transcrição literal é indicada para entrevistas em que reproduzir sua essência é fundamental, um exemplo são trabalhos que envolvem a psicologia, nos quais se deve destacar as emoções para ter um parecer fundamentado.

Ou até mesmo em situações em que o que acontece em volta e o que o entrevistado fala é muito importante. Para executá-la, assim como nos outros tipos de transcrições, é fundamental que o indivíduo tenha um bom domínio de português e também conhecimentos gerais.

2. Transcrição adaptada

Ao contrário da 1ª, nesta não é crucial reproduzir todos os aspectos da fala. Então, as ocorrências que são entendidas como irrelevantes podem ser omitidas, visto que elas não atrapalham o contexto do interlocutor.

Situações com zunidos, expressões de concordância — como “é” e “certo” — e manias de final de fala — como “né?”, e “entendeu?” — podem ser retiradas. Da mesma forma são tratadas repetições e oscilações que não afetam em nada o contexto do conteúdo. O ideal é que seja utilizada quando o que se quer capturar do entrevistado é a informação mais objetiva.

3. Transcrição para linguagem culta ou formal

A última das transcrições é bem complexa porque exige do transcritor grande habilidade com a gramática. Ele precisa não apenas transcrever, mas também corrigir os erros de concordância, tanto nominais quanto ortográficos e verbais.

Além desse conhecimento, ele deverá ser bom de interpretação para realizar as alterações necessárias a fim de melhorar o texto sem perder a coerência do que foi dito.

O uso desse tipo de transcrição funciona muito bem para universidades e também para atas de reuniões ou quando o conteúdo se tornará um documento.

O formato das transcrições

O formato é outro ponto importante a se considerar quando falamos sobre transcrições. Ele pode ser tanto uma entrevista individual quanto uma entrevista de grupos focais.

Entende-se por entrevista individual um conjunto de perguntas que são respondidas apenas por um interlocutor. No caso dos grupos focais, são entrevistas feitas com vários indivíduos e que têm o objetivo de tirar um ponto em comum, uma opinião que represente todos os entrevistados sobre um determinado assunto.

Normalmente, esse formato de transcrição é pedido pelo mercado publicitário e empresas que querem saber como anda a satisfação com seus serviços ou produtos.

Organizações de opinião pública também costumam usar esse formato. Em muitas circunstâncias, não é preciso que exista uma identificação propriamente dita, inserindo apenas se o indivíduo é homem ou mulher.

Transcrever um áudio é muito mais complexo do que apenas passar tudo o que se ouve para o papel. É interessante para quem necessita de uma transcrição de áudio solicitar algumas amostras e também saber um pouco mais sobre quais são os tipos.

Gostou deste post sobre tipos de transcrições de áudio? Não deixe de nos seguir no Facebook!

Sobre o autor

Deixar comentário.

Share This