Revisão de Texto

5 dicas essenciais de estruturação textual

5-dicas-essenciais-de-estruturacao-textual.jpeg

Já aconteceu de, apesar de ter bom domínio do conteúdo e um conhecimento razoável de gramática, você reler algo que já escreveu e achar o texto confuso ou a leitura difícil? A informação está lá, as frases estão bem escritas, mas o resultado final não agrada e você não sabe por quê.

Se você se identificou, saiba que o seu problema pode estar na estruturação textual. Continue lendo o texto de hoje e descubra como resolvê-lo!

1. Sempre comece pelo planejamento

Quando você escreve um texto, precisa sair de um lugar (sua premissa) e chegar em outro (sua conclusão). Senão, seu leitor terminará a leitura com a sensação de que não saiu do lugar, ou seja, que não aprendeu nada.

Se você começa o texto sem saber aonde quer chegar com ele, inevitavelmente dará voltas na redação à medida que o seu próprio raciocínio se desenrola e o texto resultante será apenas um amontoado de informações. Para evitar isso, é fundamental fazer um planejamento antes de começar a escrever.

Esse é o momento de explicar para si mesmo o assunto que você vai desenvolver, identificar partes do conteúdo que você ainda tem dúvida e decidir o que entra no texto e o que fica de fora. É como se fosse um “roteiro” da viagem em que você pretende levar o seu leitor.

Para fazer esse esquema, comece listando todas as informações que precisam estar presentes. Depois, organize-as em uma sequência lógica: qual informação é necessária para compreender todas as outras? Qual é derivada de outras? Por fim, analise tudo o que você levantou e reflita sobre qual conclusão é possível tirar dessas informações.

Coloque tudo isso no papel de uma maneira que você vá entender (bullet points, post-is) e mantenha à mão para referência. Você vai ver que, na hora de efetivamente escrever, o texto vai sair com muito mais fluidez e organização.

2. Decida de onde está falando e não mude de ideia

Ainda na etapa do planejamento, é importante definir qual é a sua posição em relação ao leitor. Você quer se posicionar junto a ele, como um amigo que está passando pela mesma situação, ou está falando como um observador externo de uma determinada situação? Ainda, você pode estar relatando as suas próprias ideias ou descobertas sobre um certo assunto.

Isso parece um detalhe, mas na verdade tem um efeito grande sobre o resultado final. Sua posição em relação ao leitor vai definir a sensação de proximidade que o texto transmite. Observe, por exemplo, que dizer “é comum sentirmos ansiedade quando estamos nessa situação” produz um efeito diferente e bem mais próximo do que “é comum sentir ansiedade quando se está nessa situação”.

Fazer essa escolha antes de começar a escrever também contribui para que seu texto fique mais bem amarrado. Uma vez que você esteja consciente de qual pessoa do discurso (1ª, 2ª ou 3ª, do singular ou do plural) pretende usar, você evita variar entre elas e, assim, causar estranhamento e interromper a fluidez da leitura.

3. Trabalhe apenas uma ideia por parágrafo

Um ponto que rotineiramente causa dificuldade na estruturação textual é a divisão em parágrafos. Parágrafos longos demais tendem a ficar confusos e prolixos, enquanto curtos demais prejudicam o ritmo e podem indicar ideias mal desenvolvidas.

Não existe um tamanho ideal para os parágrafos, mas o recomendado é que cada um desenvolva apenas uma ideia. Se você tiver dificuldade com este aspecto, comece sempre desenvolvendo um tópico frasal (uma frase que sintetiza o tema principal do parágrafo) e, depois, selecione ideias secundárias que expliquem, aprofundem ou derivem da principal.

Seu parágrafo não precisa necessariamente incluir o tópico frasal que você desenvolveu. Você pode fazer isso em formato de esquema, ao lado do texto, e depois redigir as frases da maneira que achar melhor. Só não deixe acumularem muitas ideias em um só parágrafo.

Outra dica é evitar também parágrafos frasais, aqueles que são compostos de apenas 1 frase. Tudo bem eles aparecerem uma vez ou outra, mas, se todos os seus parágrafos forem assim, é sinal de que seu texto está pouco aprofundado!

4. Fique de olho na coesão e na coerência para trabalhar a estruturação textual

Talvez você já tenha reparado que os termos “coesão e coerência” sempre aparecem juntos. Isso não é à toa: se uma não está boa, a tendência é que a outra também deixe a desejar.

A coesão está relacionada ao encadeamento gramatical das suas ideias, frases e parágrafos. É essa habilidade a responsável por evitar que seu texto se torne uma série de tópicos que poderiam ser expressos em bullet points.

Para treinar sua coesão, é fundamental dominar termos de retomada (como os pronomes isto/isso/este/esse) e elementos de ligação, como:

  • quando;

  • onde;

  • por que/porque;

  • portanto;

  • apesar de;

  • cujo;

  • a fim de, entre outros.

Para dominar a fundo a coesão, também é uma boa voltar aos estudos de classificação de orações lá do ensino médio. Entender a relação que duas orações estabelecem entre si é fundamental para identificar o melhor elemento de ligação para cada caso.

Já a coerência tem a ver com a relação lógica entre as ideias que você apresentou. Um texto incoerente é incapaz de produzir sentido, uma vez que suas afirmações ou entram em contradição, ou não têm relação entre si. Um bom planejamento contribui bastante para a melhora da coerência, já que te permite analisar e organizar suas ideias antes de começar a escrever.

5. Não encare textos longos como um amontoado de textos menores

Quando estamos escrevendo textos longos, compostos de muitos tópicos ou mesmo capítulos, pode ser tentador encarar cada um deles como uma redação isolada, principalmente quando o trabalho é dividido em um longo período de tempo. Porém, o resultado dessa visão é um texto fragmentado e pouco fluido, como uma colcha de retalhos verbal.

Para evitar cair nesse erro, faça um planejamento mais geral para o texto todo, separando as ideias que serão discutidas em cada capítulo e explicitando qual é o propósito de cada um deles. Nesse planejamento, já deixe indicadas quais serão as estratégias de coesão entre um capítulo e outro — por exemplo, você pode encerrar o primeiro com uma pergunta que será respondida no segundo.

Na hora de escrever as partes do texto, faça um novo planejamento, mais detalhado, para cada uma delas e não se esqueça de incluir as estratégias que você listou anteriormente. Também lance mão dos elementos de retomada que mencionamos no tópico anterior e de expressões como “como foi visto no último capítulo” ou “que exploraremos a seguir”.

A estruturação textual é fundamental para que o seu texto tenha clareza, fluidez e seja agradável de ler. Colocando essas dicas em prática, você vai ver que suas ideias ficarão muito mais organizadas!

Quer conferir mais dicas como essas? Então curta nossa página no Facebook!

Sobre o autor

Oficina Só Português

A Oficina Só Português faz do seu trabalho uma certeza: é preciso descomplicar nossas relações com a língua portuguesa.

​Com rapidez, seriedade e competência, trabalhamos com a revisão de texto, tradução e transcrição de áudio. Buscamos entender a singularidade de cada trabalho e buscar uma construção individual e personalizada.

Deixar comentário.

Share This